Lançamento Oficial de Chamado de Cthulhu

Olá jogadores!

Depois de muito tempo desde o último post, finalmente consegui me organizar para escrever para a TavernaRPG. E volto com um assunto fantástico: O lançamento nacional do RPG que foi o marco inicial do gênero de horror para esse tipo de jogo. Nada mais nada menos que o RPG Chamado de Cthulhu (Call of Cthulhu, na versão original).

Há muito que este lançamento era esperado aqui no Brasil. Houveram boatos de que a Devir havia comprado os direitos de publicação do Chamado de Cthulhu no Brasil e estava trabalhando na tradução . Porém, independentemente disso ser verdade ou não, o fato é que o livro nunca havia sido lançado aqui. Até agora.

No último sábado, 10 de janeiro de 2015, a editora Terra Incógnita finalmente lançou no Brasil o Chamado de Cthulhu. O evento de lançamento ocorreu em Belo Horizonte – MG, e acredito que este foi um marco para o cenário do RPG nacional. Foram décadas de espera, boatos e promessas e durante essa espera, muitos rpgistas tiveram tempo de aprender o idioma inglês e partir para a versão original do jogo.

Pessoal da Terra Incógnita no lançamento do livro.
Pessoal da Terra Incógnita no lançamento do livro.

Eu mesmo havia comprado Call of Cthulhu 6a. edição em inglês, pois já não nutria qualquer esperança de que ocorresse um lançamento nacional. Principalmente depois da editora Retro Punk ter lançado o excelente RPG Rastro de Cthulhu, um RPG mais moderno, com o mesmo tema, e um conjunto de regras diferente do Chamado de Cthulhu. Enquanto o Chamado de Cthulhu utiliza o sistema BRP, Rastro de Cthulhu utiliza o sistema Gumshoe.

Mas no dia 31 de outubro de 2013, iniciou-se um movimento que marcaria a história do RPG no Brasil. Kairam Ahmed Hamdan, Mauro Lúcio Campos Amado e Pedro Ziviani, através da editora Terra Incógnita, iniciaram um projeto de financiamento coletivo na plataforma Catarse para a tradução e lançamento do RPG Call of Cthulhu no Brasil. Fiquei sabendo desse financiamento coletivo através do blog Mundotentacular, do Luciano Giehl, alguns dias depois do seu início, e não pensei duas vezes em me tornar um apoiador do projeto.

O financiamento coletivo foi um capítulo a parte desta saga do lançamento do Chamado de Cthulhu. Com uma meta mínima estipulada em R$ 38.000,00 , e término do financiamento marcado para 25 de dezembro de 2013, em menos de duas semanas o projeto arrecadou cerca de 50% do valor mínimo. Porém, depois de atingido esse marco, o financiamento pareceu ficar estagnado, fazendo com que muitos chegassem a duvidar do seu sucesso.

As metas extras do financiamento eram interessantes.  Dependendo do valor arrecadado, itens adicionais seriam agregados ao projeto. Estes itens incluíam um volume com a arte do livro, a coletânea de recursos de jogo chamada Documentos Sinistros, e aventuras de autores nacionais e estrangeiros. O destaque certamente fica para a aventura (ou cenário, como se diz em Chamado de Cthulhu) que será escrita por Sandy Petersen, o próprio autor de Call of Cthulhu, que a mais de duas décadas não escreve material para este jogo. Mais detalhes podem ser encontrados na página do projeto no Catarse.

Depois de muita apreensão e ansiedade, finalmente a meta mínima foi atingida. E depois disso as metas extras foram sendo superadas, uma a uma. A meta mais alta era a aventura de Sandy Petersen, exclusiva para o Brasil, com arrecadação estipulada em $ 51.000,00, e ficou claro pelo ritmo de novos apoios no final do financiamento que esta meta tinha grandes chances de ser atingida. Foi então que os autores do projeto adicionaram mais uma meta: O Escudo do Guardião, com R$ 63.000,00. Por pouco esta ultima meta não foi atingida. No final, o financiamento coletivo foi um sucesso épico, atingindo todas as metas estabelecidas no início, e restava apenas esperar o lançamento do livro.

O lançamento atrasou, e somente em 31 de agosto de 2014 os apoiadores receberam a primeira versão do PDF do livro. Uma iniciativa muito positiva do pessoal da Terra Incógnita foi chamar os apoiadores para ajudar a fazer um “pente-fino” no livro, enviando para a editora os erros ou inconsistências encontradas. No dia 19 de outubro de 2014 finalmente os astros se alinharam, e a versão final do PDF foi enviada aos apoiadores do projeto. O livro contem os nomes dos 612 apoiadores do projeto. Uma singela homenagem a quem ajudou materializar essa idéia insana de trazer Call of Cthulhu para o Brasil.

Sobre o livro em si, posso dizer que o trabalho ficou espetacular. A qualidade da tradução, um motivo recorrente de reclamação nos lançamentos nacionais, ficou muito boa, apresentando apenas pequenos erros pontuais. A iniciativa de chamar os apoiadores do projeto para o trabalho de “pente-fino” deu resultados muito positivos. Ainda não encontrei erros na versão final.

Livro físico. Em pré-venda no site da Terra Incógnita.
Livro físico. Em pré-venda no site da Terra Incógnita.

Arte do livro ficou sensacional. Aliás, este é um ponto que merece menção honrosa. Todas as ilustrações do livro são novas e inéditas, criadas pelo artista brasileiro Walter Pax. Portanto esta edição brasileira não é apenas uma mera tradução da 6a. edição do jogo, mas uma edição toda especial, única no mundo.

Segundo o pessoal da editora, os livros físicos já começaram a ser enviados aos apoiadores do projeto, e devem chegar até o final de janeiro. Para quem perdeu o financiamento coletivo, o livro encontra-se em pré-venda no site da Terra Incógnita. A versão PDF do livro já pode ser comprada, também no site da Terra Incógnita.

Este lançamento era esperado por muitos jogadores, há muito tempo. Graças à coragem e ao espírito empreendedor do pessoal da Terra Incógnita, temos agora em português este RPG lendário. O universo de Call of Cthulhu é muito rico, e existem inúmeros suplementos para o jogo. Resta torcer para que pelo menos os principais suplementos e campanhas sejam também lançados aqui pelo pessoal da Terra Incógnita.

Deixe uma resposta